Seguidores

13 de mai de 2008

Campanha mundial de plantio de árvores fixa meta de 7 bilhões

Uma campanha de incentivo ao plantio de árvores no mundo todo fixou nesta terça-feira a meta de plantar 7 bilhões de mudas e sementes até o final de 2009, ou pouco mais de uma árvore para cada morador do planeta, com o intuito de ajudar a proteger o meio ambiente e a brecar as mudanças climáticas.
O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep), organizador da campanha iniciada no final de 2006 com uma meta de plantar 1 bilhão de árvores até o final de 2007, disse que governos do mundo todo, empresas e várias pessoas já haviam elevado essa cifra para mais de 2 bilhões de unidades.
A meta anunciada na terça-feira, de mais 5 bilhões de árvores plantadas, deve ser atingida durante uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) na Dinamarca, no dia 30 de novembro de 2009, conferência essa que tem por objetivo selar um novo tratado internacional de longo prazo para combater as mudanças climáticas para além do Protocolo de Kyoto.
"Em 2006, considerávamos a meta de 1 bilhão de árvores ambiciosa demais. E não foi", afirmou Achim Steiner, chefe do Unep.
"A meta de 2 bilhões de árvores também se revelou subestimada. O objetivo de plantar 7 bilhões de árvores, o equivalente a pouco mais de uma árvore por pessoa viva no planeta, deve, portanto, ser realizável", disse Steiner em um comunicado. Segundo o Unep, a proteção e a ampliação das áreas florestais constam entre as formas eficientes para conter as mudanças climáticas, fenômeno decorrente da emissão de gás carbônico durante a queima de combustíveis fósseis em fábricas, usinas de energia e veículos automotores.
As árvores absorvem gás carbônico ao crescerem e liberam-no quando são queimadas ou quando apodrecem. O desmatamento responde por mais de 20 por cento do dióxido de carbono gerado pelos seres humanos.
A campanha do Unep registra as promessas de plantio na internet, mas não verifica se todas as sementes ou mudas realmente foram plantadas ou sobreviveram.
"Alguns governos estaduais e nacionais organizaram as maiores campanhas de plantio. A Etiópia liderou a contagem, com 700 milhões de árvores, seguida pela Turquia (400 milhões), pelo México (250 milhões) e pelo Quênia (100 milhões)", afirmou Steiner.
Milhões de pessoas também participaram dos esforços, entre as quais estudantes e grupos religiosos.
Uma autoridade da ONU afirmou que os 7 milhões de árvores, ao crescerem, sugariam um montante de gás carbônico equivalente ao liberado pela Rússia em um ano. Esse país é o terceiro maior emissor de gases do efeito estufa do mundo, ficando atrás dos EUA e da China.
Entre os projetos, está o plantio de manguezais na Indonésia depois do violento tsunami de 2004. Esse tipo de formação vegetal ajuda a proteger as áreas costeiras.
O programa Replantio Nova Orleans patrocinou a semeadura de árvores frutíferas para ajudar as comunidades carentes da cidade a recuperarem-se dos estragos deixados pelo furacão Katrina
Postar um comentário