Seguidores

18 de abr de 2008

A luta contra o Analfabetismo

Esta postagem tem o objetivo de chamar a atenção sobre uma minoria esquecida.Encontrei este texto na net que me fez ver algo que deixamos passar como se não existisse.

DISLEXIA – Problemas que dificultam à aprendizagem
Autor - Fernanda Santos da Silva - Pedagoga


Meu nome é Fernanda Santos da Silva, sou pedagoga e gostaria muito de saber quais são as possibilidades de publicar um artigo sobre Dislexia. Pois, estou indignada com a pouca preocupação dos nossos "representantes", ou seja, dos políticos, com a educação de nossas crianças.
Desenvolvi um Trabalho de Conclusão de Curso sobre "Dislexia na Educação - o papel do professor diante a dislexia no processo de alfabetização", contei com o apoio da Associação Brasileira de Dislexia. A minha posição sobre dislexia é bem abrangente, pois além dos problemas pedagógicos que encontramos, há também um fator de extrema importância que não podemos desconsiderar, o Problema Político que esbarramos ao tentarmos levar a Dislexia ao conhecimento de todos.

Digo PROBLEMA POLÍTICO, porque além da minha posição pedagógica (que está no preparo do professor para que possa identificar e encaminhar um aluno com dificuldade de aprendizagem para realização de uma avaliação multidisciplinar, onde seria constatado se trata de dislexia ou não).

Partindo deste ponto de vista, temos um longo caminho pela frente:

1º - Lutar para que haja uma preocupação com o preparo dos professores da rede, com cursos, seminários etc e o preparo dos professores que estão se formando, saindo da universidade, muitas vezes, sem ao menos saber sobre o que se trata uma dificuldade de aprendizagem e muito menos sobre dislexia. Um exemplo prático é sobre o meu curso, que discutimos em sala de aula sobre dislexia por 50 minutos apenas!!!!

2º Com professores preparados para perceber a dificuldade de seu aluno, é preciso haver um encaminhamento para uma avaliação, pois vale lembrar, que o professor não tem condições de diagnosticar, sozinho a dificuldade, é preciso uma avaliação multidisciplinar. Então, para onde esse professor irá encaminhar esse aluno? Precisamos de apoio! Quem sabe um convênio entre as secretarias de Educação e Saúde?

3º Com esse convênio, a criança passaria por uma avaliação multidisciplinar com psicólogos, psicopedagogos, neurologistas, oftalmologistas. A partir do diagnóstico positivo, (a criança realmente é disléxica) é preciso de um acompanhamento para que se descubra à dificuldade específica desse aluno. Então, esbarramos novamente num problema político, pois quem acompanhará essa criança? Quem irá orientar o professor sobre essa dificuldade específica, para que ele possa fazer o seu planejamento a fim de que seu aluno atinja o seu potencial? Pois, partindo ponto de vista sócio econômico, sabemos que as grandes maiorias dos nossos alunos, não têm condições de fazer um acompanhamento particular com especialistas.

No TCC, defendi que o papel do professor diante da dislexia no processo de alfabetização é, dentre outros:
Entender que ninguém aprende ao mesmo tempo, portanto e essencial o respeito pelas individualidades;
Ser criativo e diversificar as estratégias pedagógicas, pois ninguém aprende da mesma "forma";
Estar aberto aos diversos meios de comunicação, e utilizá-los como ferramentas no processo de ensino-aprendizagem;
Diversificar as atividades avaliativas;
Estar preparado para perceber a dificuldade de seus alunos e encaminha-los para uma avaliação;
E, acima de tudo, INCLUIR a TODOS (deficientes, negros, brancos, ricos, pobres), pois a pior das discriminações é a SOCIAL!!!!!!!! Porém, para isso o professor precisa de dedicação, apoio político, investimento etc.

A dislexia no Brasil ainda não é conhecida e nem reconhecida como uma dificuldade que deixa nossas crianças à margem do conhecimento, por total "falta" de CONHECIMENTO.

Há uma Lei criada pela Deputada Estadual Maria Lucia Prandi - PT, visando um Programa de Identificação e Tratamento da Dislexia na Rede Estadual de Ensino, porém infelizmente somos vítimas do descaso dos nossos representantes, pois a mesma deveria ter sido regulamentada até o dia 02/02/2007 e até hoje nada foi feito. Aproveito a oportunidade para parabenizar a deputada pelo brilhante trabalho.

Fernanda Santos da Silva - Pedagoga
Ermelino Matarazzo - SP

Referências Bibliográficas:
ABD – Associação Brasileira de Dislexia
ASSOFRA, Luciana de Riccio. SILVA, Fernanda Santos da. PEREIRA, Sabrina Bonfim. Dislexia na Educação – TCC/2006.

Saber mais sobre : Dislexia
Postar um comentário