Seguidores

3 de nov de 2007

Recifes de corais do Caribe

foto:mongabay

Os recifes de corais do Caribe correm o risco de se transformar em um novo tipo de ecossistema, dominado não pelos corais, mas pelas algas, segundo alerta um estudo publicado esta semana pela revista científica "Nature".
A pesquisa, realizada por ecólogos britânicos e americanos, destaca os contratempos sofridos pelas estruturas de corais nas últimas décadas.
Os pesquisadores, liderados por Peter J. Mumby, construíram um modelo matemático para analisar os efeitos sobre os recifes de coral de uma série de eventos ocorridos desde os anos 80, cada um dos quais teve um efeito devastador sobre esses ecossistemas.O primeiro abalo veio com a passagem do furacão "Allen", em 1980.
Pouco depois, em 1983, os corais sofreram as conseqüências da mortandade em massa da espécie herbívora Diadema antillarum.
Estes ouriços se alimentam de algas, por isso seu desaparecimento deixou os recifes sem um meio de controle da quantidade de algas.
Estas conseguiram se reproduzir em excesso, tirando espaço dos recifes para seu desenvolvimento e crescimento.
Além disso, houve o impacto do furacão "Gilbert", que castigou o Caribe em 1988.
Segundo os especialistas, a combinação de fatores deixou os recifes de corais vulneráveis diante da invasão de algas.
Sua análise pode oferecer estratégias para recuperar os ecossistemas de recifes, talvez promovendo as povoações de peixes-papagaios, que também se alimentam de algas que crescem nos recifes. EFE
Postar um comentário