Seguidores

1 de out de 2008

Governo assina primeiros contratos de concessão florestal na Flona de Jamari

O Brasil deu passos importantes hoje para a preservação e uso sustentável da Amazônia, bem como para a redução do desmatamento na região. Em Brasília, foram assinados os primeiros contratos de concessões para manejo sustentável na Floresta Nacional de Jamari, em Rondônia. Também foi anunciada a abertura da consulta pública sobre a Política de Manejo Florestal Comunito e Familiar, que prevê uma agenda anual para fortalecer o setor, envolvendo crédito, assistência técnica, infra-estrutura e comercialização.

Outras duas medidas completam o pacote de ações positivas na área ambiental e possuem abrangência nacional. O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, e o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, assinaram Portaria Interministerial reconhecendo as populações tradicionais das Reservas Extrativistas (Resex), Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) e Florestas Nacionais (Flonas) como beneficiárias do Programa Nacional de Reforma Agrária. Já a presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Ramos Carvalho, assinou com o MMA um acordo de cooperação que determina o uso de madeira de origem legal em obras e empreendimentos financiados pela Caixa.

"Todas as medidas estão ligadas à sustentabilidade e são importantes para gestão florestal, pois promovem o uso sustentável e conservação das florestas", afirmou o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc. "Com essas ações, nós vamos passar a viver com a floresta, e não 'da' floresta. Era o que queria Chico Mendes", disse, emocionado, o presidente da Cooperativa de Produtores Rurais Extrativistas, Dionísio Barbosa de Aquino.

O diretor-geral do Serviço Florestal Brasileiro, Tasso Azevedo, também anunciou o lançamento do edital que irá contratar o Plano de Manejo Florestal do Projeto de Assentamento Florestal Jequitibá, em Rondônia, um dos primeiros assentamentos florestais criados no Brasil e que visa utilizar a floresta como fonte de renda principal.

"A idéia é que tenhamos um corredor com uma floresta nacional, uma estação ecológica (área de proteção integral), o assentamento com o plano de manejo e a floresta nacional do jacandá, que também terá processo de concessão a partir do próximo ano", antecipou Tasso. "Assim, teremos um longo corredor de produção sustentável e proteção em uma das áreas mais ameaçadas no estado de Rondônia", completou.

fonte : MMA
Postar um comentário