Seguidores

1 de mai de 2008

Pista produz electricidade em discoteca ecológica

Uma boate em que nada se perde, tudo se transforma. Este é o princípio de uma discoteca que abrirá as portas em Roterdão, Holanda, em Setembro, e que no último final de semana começou a fazer apresentações em cidades europeias para difundir a ideia da pista de dança sustentável. Enquanto os convidados dançam e se divertem, a energia produzida pelo movimento no chão é capturada, transformada e assim se torna capaz de alimentar as lâmpadas do estabelecimento.A primeira exibição foi em Paris, no último sábado, durante o Salão do Planeta Sustentável. Centenas de pessoas foram testar o princípio e acompanhar a transformação da energia em electricidade.O custo de instalação de uma pista ecologicamente correcta como essa é alto: 3,5 mil euros o metro quadrado. Mas o inventor da engenhoca garante que, a longo prazo, a economia compensa, especialmente sob o ponto-de-vista da consciência ambiental."O gasto com energia é um dos mais expressivos num estabelecimento nocturno. Se der para economizar e ainda poupar o meio ambiente, melhor para todo mundo", explica o idealizador do projecto, Daan Roosegaarde.A pista de dança pode produzir entre quatro a oito watts por segundo em cada 65cm² de espaço. Para uma discoteca pequena, com 6m² de pista de dança, por exemplo, a produção de energia seria de entre 400 e 700 watts, dependendo, evidentemente, da animação do público."A expectativa é de que, para a inauguração da boate, a energia produzida seja capaz de alimentar também a aparelhagem do DJ, além das lâmpadas. Esperamos que acima de tudo os jovens adquiram mais consciência sobre o quanto eles podem colaborar com a preservação da natureza, mesmo quando pensam estar só se divertindo e fazendo festa", disse o holandês, que conta com o auxílio da Universidade Tecnológica de Delft para desenvolver o projecto, além do apoio de diversas empresas holandesas públicas e privadas.A reciclagem da energia não é a única iniciativa do clube, que será apropriadamente chamado de Watt - para consciencializar os jovens. Para as casa de banho, será utilizado um sistema de renovação da água da chuva, capturada no telhado. Antes, porém, a água ainda faz uma participação na decoração do ambiente, passando por uma parede de cascata. Até mesmo os copos de plástico serão lavados e reutilizados várias vezes durante a noite. Para isso, os frequentadores do local receberão um suporte de copos - reciclável - para que não os danifiquem durante o uso.A discoteca terá capacidade para duas mil pessoas e tem inauguração prevista para o dia 4 de Setembro. Até lá, os organizadores pretendem difundir a ideia nas principais capitais europeias em salões e exposições de meio ambiente. O próximo evento será no dia 30 de Abril, durante a "Festa da Rainha", tradicional na Holanda e que normalmente deixa um rastro de sujeira plástica para trás.
Postar um comentário