Seguidores

11 de jan de 2008

Elefantes, formigas e acácias: equilíbrio e fragilidade do ecossistema


As relações entre os grandes herbívoros, como os elefantes, com as acácias e algumas variedades de formigas na África são exemplos do bom funcionamento do ecossistema e de suas fragilidades, de acordo com o trabalho de cientistas americanos publicados nesta quinta-feira.

As acácias são árvores muito comuns em regiões tropicais e, portanto, fáceis de serem encontradas na África Subsaariana e na savana africana. Elas possuem grandes espinhos que servem de ninho a três espécies de formigas. Algumas destas árvores possuem centenas de espinhos ocos que abrigam mais de 100.000 formigas cada um.

Estes insetos e as acácias se beneficiam mutuamente com esta coabitação: em troca de abrigo e nutrição, a partir do néctar produzido pelas folhas das árvores, elas oferecem proteção. As formigas se responsabilizam pela defesa das acácias contra as agressões de mamíferos herbívoros, como girafas e elefantes. Com a ajuda destes pequenos animais, as árvores não são, desta forma, destruídas completamente.

O grupo de pesquisadores coordenado por Todd Palmer, professor de zoologia na Universidade da Flórida, começou a estudar estas relações entre acácias, mamíferos e formigas depois de ter percebido, no Quênia, que as acácias protegidas com barreiras elétricas de animais brutos pareciam menos vigorosas que as que não tinham este tipo de proteção.

De fato, "quando as árvores protegidas não são mais ameaçadas, seus protetores, as formigas, baixam a guarda e também acabam se enfraquecendo. As formigas se alimentam menos, o que faz com que as acácias produzam menos néctar, o que diminui sua vitalidade", explicou Todd Palmer, que ressalta a importância de preservar os equilíbrios do ecossistema para a preservação da natureza.
Postar um comentário