Seguidores

28 de dez de 2007

A tigresa Tatiana pode ter recebido ajuda para escapar



A tigresa siberiana que escapou da jaula no zoológico de São Francisco e atacou três visitantes, matando um deles, pode ter escapado com a ajuda de uma das vítimas, informou a imprensa americana nesta quinta-feira.

Segundo o San Francisco Chronicle, a polícia encontrou sangue e um sapato dentro da jaula da tigresa Tatiana, e agora investiga a possibilidade de que uma das vítimas tenha colocado uma perna dentro do fosso, "ajudando" o animal a escapar.

A tigresa ficava separada do público que visitava o zôo por uma grande cerca de metal e um fosso de 8 metros de largura. A polícia especula como o animal pode ter fugido e atacado os três visitantes.

O jornal cita fontes anônimas próximas à investigação, que revelam que as provas encontradas no local "incluem um sapato e sangue na área entre o portão e a borda do fosso".

O corpo de Carlos Sousa Jr., 17 anos, foi encontrado próximo ao fosso de separação. Ele foi morto por um corte da garganta. As outras duas vítimas, dois irmãos de 19 e 23 anos, que visitavam o zoológico com Carlos, estavam presentes no momento da fuga do animal, ainda segundo o Chronicle.

"As vítimas feridas fugiram, deixando um rastro de sangue, e a polícia acredita que a tigresa os tenha perseguido por cerca de 300 metros", diz a reportagem.

A tigresa de quatro anos de idade atacou um dos irmãos antes que a polícia conseguisse atrair a atenção do animal e matá-lo.

"Alguém criou uma situação que a irritou muito e a motivou a escapar", afirmou Manuel Mollinedo, diretor do zoológico de São Francisco, em declaração ao jornal americano.

"Não há possibilidade de que o tigre tenha conseguido fugir dali com apenas um pulo. Eu presumiria que houve alguma ajuda", continuou Mollinedo.

A reportagem também diz que pinhas e gravetos encontrados no fosso podem ter sido jogados contra o animal. "Esses objetos não teriam como chegar ao fosso naturalmente", de acordo com as fontes.

Mesmo assim, o chefe de polícia Neville Gittens alerta que "não havia razão para pensar que as vítimas estavam provocando o tigre". Os dois sobreviventes se recuperam em um hospital em condição grave, mas estável.

A tigresa de 136 quilos já havia atacado o braço de um tratador do zôo quando era alimentado em público no ano passado.



fonte: Terra
Postar um comentário