Seguidores

26 de out de 2007

Profissão Biólogo: uma luta em benefício do planeta

Muitos o conhecem como 'defensor dos animais', mas o biólogo desempenha um papel bem mais amplo. “A Biologia não consiste apenas no estudo da vida, mas das mais variadas relações entre os organismos e, dentre eles, o ser humano. Defendemos os animais sim, mas defendemos também todas as espécies vivas”, diz a professora e bióloga Myrna Friederichs.

Profissão

No Brasil, o curso de Biologia tem duração média de quatro a cinco anos, a depender da Universidade. Ao optar pela profissão, o estudante deve ter em mente o caminho que deseja seguir: a licenciatura ou o bacharelado. A primeira consiste basicamente na integração profissional em sala de aula, limitando-se ao Ensino Fundamental e Médio. Já o bacharelado é mais voltado para a área acadêmica ou de pesquisa. É esse o biólogo que dá depoimentos em noticiários e que ficou conhecido como 'defensor dos animais'. Além disso, o bacharel está habilitado a dar aulas em universidades e pode trabalhar em órgãos públicos. “Na verdade, a depender da exigência, os profissionais licenciados também podem trabalhar em empresas”, afirma a professora Myrna.


Estudos

Segundo ela, o mercado de trabalho na área da Biologia é muito amplo. “Existem vários segmentos tais como Ecologia, Genética, Biologia Marinha, Devastação ambiental, Botânica, Zoologia, dentre muitas outras. Para quem gosta, há muitas opções”, explica. Para os interessados, é bom saber que a grade curricular do curso é formada por disciplinas de caráter geral como Bioquímica, Física Básica e Biologia celular, e de caráter específico como Ecologia, Parasitologia, Botânica e Genética.


Mercado

Os salários podem variar de R$ 850 a R$ 3.800 a depender do cargo exercido e da empresa na qual se trabalha. Mas há um fator que deve ser comum a todos que desejam seguir a profissão: a identificação com o ideal do curso, que é o bem estar da natureza. “Para ser biólogo, é preciso amar a natureza e querer dar o máximo para alcançar sua estabilidade. A gratificação pessoal deve vir acima de qualquer coisa porque o biólogo ainda não é reconhecido como deve pela sociedade na qual vivemos. Nosso trabalho é de grande importância, mas só começou a fazer sentido para a população depois das crises ambientais que assolam o planeta. Agora sim estamos ganhando espaço”, completa Myrna.

Por Jéssica Vieira e Raquel Almeida
Postar um comentário